A dieta marca passo

Há vários dias que o ponteiro da balança não desce nem um grama. No entanto, depois de uma autocrítica sem complacência, não encontra qualquer desvio, mesmo que involuntário, na sua dieta. Infelizmente, isso pode acontecer em todos os regimes de longo prazo e, convenhamos, vai necessitar de uma grande esforço de vontade durante esses dias.

O facto é que o organismo habitua-se às restrições e contenta-se com doses cada vez mais pequenas. Portanto, há um momento em todas as dietas em que a perda de peso marca passo. Neste cenário, há duas possibilidades: trata-se de uma paragem provisória do emagrecimento ou definitiva.

Se for provisória, a paciência e alguns exercícios físicos são uma ajuda para ultrapassar este obstáculo. Evite a tentação de jejuar, caso contrário pode lesar os tecidos nobres, ou seja, os músculos e o coração. Opte por modificar a sua dieta habitual, durante alguns dias, privilegiando o contributo de proteínas. Isso terá o duplo efeito de abanar o seu organismo e de o obrigar a ir buscar aos tecidos adiposos a energia de que necessita. Assim, irá recuperar o atraso. Em seguida, volte à dieta original, ligeiramente mais rigorosa.

Durante este parêntese protídico, beba ainda mais água do que anteriormente, pois as proteínas produzem muitos resíduos metabólicos. Se necessário, complemente a sua alimentação com algumas vitaminas, uma vez que um acréscimo de proteínas significa menor quantidade de outras coisas e provoca, necessariamente, um desequilíbrio nutricional. Aproveite este período para aperfeiçoar a actividade física. Ao vencer estas resistências previsíveis, dá também um salto qualitativo para o seu “outro eu”, mais ponderado.

Há casos em que a barreira ao emagrecimento é definitiva. Alguns obesos atingem o seu peso fisiológico, que não corresponde necessariamente ao que eles teriam desejado. Seja razoável e aceite esta realidade, mesmo que não seja a ideal.