A homeopatia

Para esta terapia alternativa, a substância que causa um problema de saúde ou sintoma também pode curá-lo. Para tal, tem de ser usada em doses muito reduzidas, num medicamento criado através de diluições sucessivas. E o princípio de “igual cura igual”. O homeopata credenciado pode, portanto, constituir um apoio. As terapias que utiliza são pouco agressivas e baseiam-se mais nas defesas próprias do organismo do que em agentes químicos externos.

O apoio de um homeopata competente, associado a uma alimentação equilibrada, pode ser eficaz. Tal como o endócrinologista, este especialista irá fazer-lhe uma serie de perguntas para definir o seu perfil. Pode eventualmente aconselhar-lhe algum medicamento homeopático para estimular e apoiar a sua dieta hipocalórica.

Nem sempre é fácil distinguir os profissionais competentes dos que não o são. Sempre que possível, tente obter referências antes de recorrer a qualquer tipo de apoio. Além disso, tenha em conta que:

– a homeopatia não deve substituir os cuidados da medicina convencional nem servir para adiar a ida a um médico;

– não há evidência científica suficiente sobre os seus efeitos. Minimize os riscos e procure um profissional com formação e experiência na área;

-caso tenha dúvidas, encontra informação na Associação Portuguesa de Homeopatia (http://aphomeopatia.weebly.com) ou na Sociedade Homeopática de Portugal (www.homeopatiaportugal.org);

– informe o seu médico de família de que está a fazer este tipo de tratamento, em especial se tiver um problema de saúde grave. Se não alcançar resultados, aconselhe-se junto dele;

– grávidas, mulheres a amamentar ou crianças devem falar com o seu médico antes de recorrerem à homeopatia.