Da teoria

De forma algo instintiva, a criança prefere os açúcares, os farináceos e as gorduras animais. Por isso, são esses alimentos que requerem maior vigilância. Importa salientar que o factor determinante para o emagrecimento das crianças obesas é a motivação. Por esta razão, a dieta tem de ser exacta, viável (sem demasiados esforços ou sofrimento) e inofensiva(para não perturbar o crescimento). É essencial:

– diminuir substancialmente os açúcares: guloseimas, refrigerantes e outras bebidas açucaradas, chocolate, entre outros;

– manter o consumo de proteínas, pois são os materiais de construção do corpo humano. Prefira as que contêm pouca gordura e complemente as animais com as vegetais. Não se esqueça dos laticínios e do peixe;

– assegurar o aporte de minerais e, sobretudo, de potássio, sódio, cálcio e magnésio, assim como de vitaminas e o ligo elementos. Os frutos e os legumes são ricos em minerais;

– garantir a ingestão de ácidos gordos essenciais, por via das matérias gordas vegetais (óleo, margarina de dieta, por exemplo) e reduzir as gorduras animais (manteiga).

Uma alimentação correta assegura todos os nutrientes essenciais. É necessário (re)construir o equilíbrio alimentar, em vez de comprar vitaminas, pílulas e cápsulas.