Mãos à obra!

Uma dieta de emagrecimento é possível e até pode não exigir um esforço excessivo. Comer menos é uma coisa, comer bem é outra, mas os efeitos acumulados das duas podem ter um resultado definitivo no seu peso. Não se esqueça de que a dieta deve proporcionar todos os nutrientes necessários ao organismo, sob pena de se emagrecer triste, cansado, rabugento, com o cabelo baço, a pele seca e o moral a zero. Em ultimo instância, doente.

As proteínas são os materiais de construção e de manutenção do organismo. Também intervêm no crescimento, na reparação dos tecidos e até no transporte das vitaminas. Como vimos no capítulo Compreender, são constituídas por combinações de pequenas unidades, denominadas aminoácidos. Alguns não são sintetizados pelo organismo, pelo que é necessário ingeri-los diariamente através dos alimentos. Daí a importância de uma alimentação variada e equilibrada. O ideal para satisfazer as nossas necessidades de proteínas é comer as de origem animal e vegetal. Na realidade, demasiadas proteínas animais significam, com frequência, gordura em excesso.

As gorduras e os hidratos de carbono proporcionam energia. As primeiras tendem a ser armazenadas nos tecidos adiposos, os segundos são rapidamente despendidos. Mas, quando os hidratos de carbono não são utilizados ou são consumidos em quantidades excessivas, também se transformam em gorduras. Assim, comer regularmente alimentos que os contenham é benéfico, mas não caia em exageros. O mesmo é válido para as gorduras, pois, além da função de reserva de energia, desempenham outras igualmente fundamentais. Por exemplo, proporcionam-nos vitaminas A, D, E e K, bem como ácidos gordos essenciais.

Se o leitor estabeleceu correctamente o seu balanço alimentar e se conhece o seu peso recomendado e o número de quilos a perder, será fácil saber quantas calorias terá de eliminar para atingir esse objectivo. Se pesa dez quilos a mais, isso corresponde a um excesso de 90 mil calorias. Parece um grande desafio, mas garantimos-lhe que para emagrecer não tem de passar fome.

Mesmo que durma o dia todo, o seu corpo precisa de 1 quilocaloria x peso recomendável (em quilos) x 24 horas. Qualquer actividade aumenta este valor. Para um indivíduo de 60 quilos, por exemplo, uma marcha rápida requer 390 quilocalorias por hora. Escrever no computador gasta 90 por hora, enquanto a limpeza da casa abate 150. As suas necessidades podem variar com o estado de espírito (nervoso, angustiado, tenso ou, pelo contrário, calmo e descontraído). O importante é determinar bem os seus gastos energéticos e o seu consumo alimentar.

Para emagrecer saudavelmente deve perder, no máximo, soo gramas por semana. Em termos calóricos reduza apenas 500 quilocalorias por dia. Mais do que isto traz resultados imediatos espectaculares, mas passageiros.