As revistas especializadas são, na sua maioria, publicações mensais ou periódicas que ultrapassam largamente o âmbito do emagrecimento e das dietas. Ao folheá-las, encontramos rubricas de dietética, conselhos de saúde para a mulher, para o homem e para a criança. Às vezes até, para os animais domésticos. Também não falta informação sobre os novos produtos, sejam cosméticos, perfumes ou outros aparelhos. Em época primaveril, com as férias no horizonte, o sol e a perspetiva de nos mostrarmos em fato de banho, essas revistas publicam inúmeros artigos com títulos como “Tudo sobre as dietas”, “Os últimos segredos para emagrecer antes do verão”, “Como evitar a celulite” e muito mais.

Todas estão abundantemente carregadas de publicidade e de conselhos. A maioria das revistas femininas tem uma rubrica regular sobre dietética, o que não impede que, em maio ou junho, publique extensos cadernos sobre essas matérias. Aquilo que têm, muitas vezes, em comum é proporem os mais diversos métodos para emagrecer facilmente e sem sacrifícios. Existem dietas para todos os gostos. Tenha em atenção se seguem as regras para uma perda de peso correto.

NOTA NEGATIVA PARA AS DIETAS DAS REVISTAS
Nas revistas encontrm-se todo o tipo de dietas, desde as monotemáticas, as dissociadas, passando pelas hiper proteicas e pelas excessivamente hipocalòricas ou muito restritivas. As principais falhas das revistas é que são pouco educativas e incitam a um emagrecimento rápido. Em regra, as dietas analisadas estão erradas porque se baseiam no indivíduo médio, quando devem ser personalizadas e adaptadas a cada pessoa.
Não aliam o exercício tísico à alimentação, pelo que são incompletas. Por fim, defendem a magreza excessiva ao adotarem padrões de beleza impostos pelo mundo da moda.