Saber aquilo que comemos
Todos cometemos erros dietéticos ou alimentares, e estes, sejam qualitativos ou quantitativos, fazem-nos ganhar peso. Agir passa por conhecer-se a si próprio e saber onde estão as falhas. Esta auto-análise não é uma forma de autocrítica, mas uma observação indispensável e consciente dos seus hábitos alimentares. O balanço vai indicar-lhe onde estão os erros a corrigir. Pode parecer-lhe aborrecido, sobretudo no início, mas é o melhor meio para agir contra a obesidade.

Mesmo quem pensa dominar a arte de uma alimentação saudável comete pequenos erros ou fraquezas, que podem reflectir-se no frágil equilíbrio metabólico e provocar um aumento de peso. Por isso, o primeiro passo consiste em avaliar aquilo que se come. De forma mais ou menos indistinta, cada pessoa tem consciência das suas tentações. Algumas não resistem aos bolos e às sobremesas, outras abusam dos molhos e das restantes gorduras.
Também é possível comer pouco, mas mal. O seu organismo necessita de um equilíbrio que talvez não lhe proporcione. Há dois meses que come menos, privando-se de alimentos calóricos, mas o seu excesso de peso mantém-se. Porquê? Talvez porque a sua dieta careça de fibras e de proteínas e seja demasiado rica em gorduras escondidas.
Quem tem dificuldade em auto-avaliar-se deve procurar ajuda. Inclusive, pode fazer um exame nutricional, geralmente praticado em meio hospitalar, mas também em consultórios de nutricionistas. Passo a passo, estes especialistas ajudam-no a estabelecer o seu balanço alimentar. Terminada esta fase, é altura de se lançar ao trabalho, escolher uma dieta apropriada e emagrecer de uma vez por todas.